Pandemia e economia digital!

Até o presente momento, para se ter uma idéia de como a economia digital se posiciona, as cinco grandes empresas de tecnologia norte-americana, Microsoft, Apple, Google, Amazon e Facebook, têm juntas o patrimônio de 471 bilhões de dólares em caixa, ou seja, são 471 bilhões de dólares disponíveis.

Para fazer um paralelo, as 500 grandes empresas brasileiras, listadas pela bolsa de valores, tem caixa suficiente para apenas três meses, as micro e pequenas empresas possuem menos ainda, apenas um mês de caixa disponível.

Com esse desenho do cenário econômico, fica claro o papel que a nova economia (digital), a velha economia e no fim dessa fila, a economia das pequenas e microempresas, que com suas dificuldades para alavancar capital e para ter acesso a crédito, representam.

Esta pandemia mundial demonstra dessa forma que as medidas governamentais necessárias para resguardar a economia deveriam, diante da pirâmide econômica demonstrada, serem voltadas primeiramente para quem está na base, ou seja, as pequenas, médias e microempresas, grandes geradoras de emprego, não as grandes companhias que estão no topo.

A pandemia que estamos vivendo vai alterar o cenário econômico para aumentar ainda mais o abismo entre os entes da economia, justamente em razão de que as empresas que se encontram no topo, como as cinco grandes do mundo digital, irão aumentar demasiadamente o seu capital consolidando ainda mais seus lugares no mercado.

Essa consolidação dos negócios digitais mais acentuada das 05 grandes empresas fará com que qualquer negócio que apareça posteriormente cresça abaixo de suas plataformas. Na nova economia não haverá espaço para aquele negócio em que três garotos se reúnem e montam na garagem de suas casas uma empresa e se tornam bilionários, tudo crescerá abaixo das grandes empresas da nova economia digital.

Um outro exemplo nessa discussão criada pela pandemia são as Fake News, que na nova lei geral de proteção dos dados no Brasil, trata justamente em um de seus tópicos, a mitigação desse conteúdo. Para ilustrar bem a gravidade das Fakes News e como o mundo está reagindo a elas, nessa semana o parlamento da Húngria autorizou o seu Premier, Viktor Orbán, a possibilidade de produzir regulamentações que cerceiam os direitos dos cidadãos durante o estado de calamidade gerado pela pandemia do COVID-19, uma dessas medidas possibilitadas foi a criação de uma regulamentação que permite a punição com prisão para aqueles que geram Fake

News sobre o coronavírus ou as medidas que o governo vem adotando em razão dessa doença.

Essa medida criada pelo governo da Húngria, além de exagerada, mostra os desafios da nova economia dessa era digital, que exige um novo direito que tenha como base o respeito às pessoas. Não bastam medidas ditatoriais, mas sim medidas democráticas de combate aos problemas dessa era digital, como as Fake News, para regulamentar de forma justa esse novo mund

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.